Otoupeira
 

 
     
  » Seções  »  Cinema

Imprimir

   
 
Mostra e Palestra com o diretor Carlos Manga

Em abril, a Cinemateca Brasileira presta justa e oportuna homenagem a um dos maiores artistas do cinema brasileiro – Carlos Manga.

Montador, roteirista, diretor de cinema e televisão, Manga é o principal artesão de um gênero de comédia popular – a chanchada – que não apenas encantou as platéias do país com seus números musicais carnavalescos e inesquecíveis atuações de Grande Otelo e Oscarito, como também manteve com sucesso, durante mais de duas décadas, o filme brasileiro nas telas, a despeito da forte concorrência do cinema norte-americano.

Nascido em 06 de janeiro de 1928, foi levado aos estúdios da Atlântida pelas mãos do ator e cantor Cyll Farney. Assumindo as mais diversas funções na produtora, teve como "mestres" de seu aprendizado cinematográfico o montador Waldemar "Didi" Noya e o cenógrafo, roteirista e diretor José Cajado Filho.

Depois de experimentar a direção nos números musicais de Carnaval Atlântida (1952), de José Carlos Burle, assumiu definitivamente a função de diretor em A dupla do barulho (1953), primeiro filme em que Oscarito e Grande Otelo atuam como um duo, no que se tornaria uma das parcerias mais bem-sucedidas do humor brasileiro.

Em seguida, dirigiu alguns dos maiores clássicos da chanchada, como Nem Sansão nem Dalila (1954), Matar ou correr (1954), Garotas e samba (1957), De vento em popa (1957), Esse milhão é meu (1958) e O homem do Sputnik (1959), entre inúmeros outros sucessos.

A partir dos anos 1960, iniciou uma nova fase de sua carreira, realizando programas, novelas e minisséries para a Rede Globo.

A mostra Assim é Carlos Manga exibe algumas das mais representativas obras do diretor. Além de A dupla do barulho e O homem do Sputnik, compõem a programação os filmes Vamos com calma (1955), com números musicais de Ataulfo Alves, Emilinha Borba, Nora Ney e Isaurinha Garcia; Garotas e samba (1957), último musical da Atlântida e paródia de Como agarrar um milionário, grande sucesso de Hollywood; Entre mulheres e espiões (1962), com argumento do escritor paulistano Marcos Rey; O marginal (1974), experiência atípica de Manga no terreno do drama policial, protagonizada por Tarcísio Meira; e, fechando o ciclo, Assim era a Atlântida, documentário sobre a lendária produtora, reunindo entrevistas, imagens de arquivo e cenas de seus mais marcantes filmes.

Numa oportunidade rara e imperdível, Carlos Manga em pessoa apresentará uma divertida palestra ilustrada com trechos de seus principais filmes, na qual falará sobre sua trajetória artística, contando histórias de bastidores e curiosidades de uma das mais longevas e brilhantes carreiras do audiovisual brasileiro. O evento tem entrada franca.

Serviço:

Mostra Assim é Carlos Manga

De 06 a 11 de abril de 2010

Palestra com o diretor Carlos Manga

07 de abril às 20h. Entrada Franca

Cinemateca Brasileira

Largo Senador Raul Cardoso, 207 (próximo ao Metrô Vila Mariana)

Outras informações: (11) 3512-6111 (ramal 215)

www.cinemateca.gov.br

Ingressos: R$ 8,00 (inteira) / R$ 4,00 (meia-entrada)

Atenção: estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas têm direito à entrada gratuita mediante a apresentação da carteirinha

da Redação OToupeira - redacao@otoupeira.com.br

Publicado em: 4/4/2010

 

« Voltar
 
 
   
     Copyright 2009 Otoupeira - Todos os direitos reservados